Como a ZEISS construiu uma lente praticamente indestrutível - Frames
LENDO

Como a ZEISS construiu uma lente praticamente inde...

Como a ZEISS construiu uma lente praticamente indestrutível

 

 

Os filmes de comédia dos anos 80 e 90 não facilitavam a vida de quem usava óculos: boladas no rosto, tropeços ou cantoras de ópera desafinadas sempre surgiam para estragar o dia – e as lentes – dos personagens míopes.

 O que parece engraçado no cinema é, na vida real, um pesadelo e tanto para quem precisa dos óculos por motivo de saúde. Não à toa, quem não enxerga sem óculos costuma cuidar muito bem deles, o que exige uma certa manutenção, como limpeza frequente e cuidados.

Mas, para quem tem uma vida corrida, o ideal nem sempre acontece. Por isso, o verdadeiro sonho de todos os usuários é uma lente indestrutível.  Falando assim, parece um projeto para Tony Stark mas, na verdade, já existe uma tecnologia que deixa as lentes praticamente inquebráveis.

Mas como isso é possível? A resposta está na inovação. A ZEISS, uma das fabricantes de lentes mais tradicionais do mundo, descobriu como adaptar a tecnologia de nanoindentação, usada em processos industriais para aplicar filmes e aumentar a resistências dos materiais, nas lentes. Surgiu assim a tecnologia de revestimentos de lente DuravisionTMPlatinum.

Através dessa técnica, revestimentos ultrafinos são aplicados sob alta pressão em uma lente base, aumentando a resistência. Mas, como nem tudo é perfeito, sozinha, a nanoindentação não garante que os materiais permanecerão completamente unidos, o que arruinaria as lentes.

 

Por isso, a ZEISS desenvolveu mais um procedimento, desta vez utilizando íons. Assim, enquanto ocorre a nanoindentação nas lentes, elas são atingidas por íons que, ao transferirem sua energia para o material dos filmes, fazem com que as moléculas deles se realinhem e os revestimentos permaneçam unidos à lente de maneira extremamente firme.

Além de aumentar a resistência, o procedimento deixa as lentes mais duras, ou seja, muito mais fortes contra arranhões. O resultado? Uma lente incrivelmente resistente e, ainda assim, leve e fina.

Claro que a resistência é fundamental para os óculos, mas quem usa sabe: o risco de quebrar as lentes está longe de ser o único problema que surge no dia a dia. Lentes arranhadas, ou que embaçam com a sujeira e impressões digitais são um problema enorme, muito mais frequente do que a quebra, assim como os reflexos da luz e até a energia estática: afinal, alguém consegue enxergar direito se o cabelo fica “grudando” na lente?

A ZEISS descobriu que a nanoindentação poderia resolver todos esses problemas de uma vez. Com o mesmo processo realizado para aumentar a dureza da lente é possível aplicar filmes antisujeira, antirreflexo e antiestática, aproveitando algumas das tecnologias já utilizadas pela empresa, como o filme Super ET, que torna as lentes hidrofóbicas. Dessa forma, é possível evitar também os problemas com chuva e ofuscamento, o que aumenta muito a segurança dos motoristas e atletas, por exemplo.

Com o revestimento DuraVisionTM Platinum, as comédias perderam um tema clássico. O lado bom é que com uma tecnologia como essas qualquer cinema vai parecer HD.

Você também pode conhecer outros produtos diretamente nas lojas da ZEISS.

COMENTÁRIOS


POST RELACIONADOS

INSTAGRAM
DÊ MAIS UM LOOK EM FRAMES