Publicidade e a Indústria Automobilística - Frames
LENDO

Publicidade e a Indústria Automobilística

Publicidade e a Indústria Automobilística

Publicidade e a indústria automobilística estão intimamente ligados. A segunda sempre se apoiou na primeira para criar desejo e ser um ícone social. A primeira sempre teve na segunda um dos seus principais pilares de negócio. Resumindo, um não vive sem o outro. São o que chamamos de indústrias irmãs.

Esta relação, sempre próxima, continua forte e continua passando pelas crises cíclicas das economias mundo afora. Veja aqui alguns exemplos de campanhas premiadas, uma lista de comerciais que estão no YouTube:

A propaganda, sempre foi a alma do negócio, como dizem alguns. Para a indústria e distribuidora de peças automotivas isso continua sendo verdadeiro. Carros são peças de metal com algum desenho dizem alguns. A propaganda, segundo eles, criou todo este circo que está em volta de nós. E isso impulsionou a indústria de carros e autopeças a prosperar como nunca havíamos imaginado. A publicidade tornou algo banal, ir do ponto A para o ponto B, em algo extraordinário e que é hoje o principal artigo de status social.

Sim, o carro é considerado algo que transmite a personalidade e o status do proprietário. Isso porque, diferentemente das casas, ele é um bem móvel, assim como os celulares, também importantes neste aspecto social. O carro diz muito sobre quem está nele, ou pelo menos tenta. Por isso, é o que é. E a publicidade desempenhou um aspecto fundamental nesta construção de imagem.

Alguns dirão: não fizeram mais do que a obrigação. Não é bem assim. Por quê? É só olharmos para outras indústrias, por exemplo, a indústria de motos e distribuidora motopeças. Trata-se de uma indústria que é sem dúvida relevante, mas que está longe de ter a pegada, a relevância do que ocorre com a automobilística e de peças automotivas. Os carros são fervorosamente desejados, as motos apenas por um nicho específico. Os carros “pegaram” na sociedade de uma forma tal que nenhum outro bem durável o fez. E isso se deve muito aos serviços de comunicação das agências mundo afora.

A pergunta que fica é: se a publicidade ajudou tanto os carros porque não consegue fazer o mesmo com outros setores? Difícil encontram uma resposta definitiva, mas a verdade é que a relação simbiótica entre os anunciantes e agências sempre ajudou. Os clientes sempre contaram muito com as agências e vice-versa. Em outras indústrias, não ocorre o mesmo. As agências são pressionadas para fazer “milagre”, são tratadas como se fosse a última solução para um problema insolúvel e são muitas vezes chamadas em momentos de desespero. Isso normalmente significa que o bonde já passou. É saudável apostar em publicidade desde o começo, não no fim. Isso porque construir imagem, marca é um processo longo e trabalhoso, que leva anos. É como a reputação.

COMENTÁRIOS