Qual a diferença entre lentes minerais e orgânicas? – Frames
LENDO

Qual a diferença entre lentes minerais e orgânicas...

Qual a diferença entre lentes minerais e orgânicas?

Em um mundo tão conectado, com cada vez mais telas e avanços tecnológicos, fica fácil esquecer que os óculos de grau, companheiros fiéis de quem tem dificuldades para enxergar, são também verdadeiras obras-primas da ciência.

Para permitir que os pacientes voltem a enxergar o mundo com todos os detalhes, foram necessários anos de pesquisa, que continuam se desenvolvendo até hoje nos laboratórios de grandes fabricantes, como a Zeiss.

Um dos frutos destes estudos foi o desenvolvimento de novos materiais para as lentes, que passaram a atender mais necessidades dos pacientes e apresentar novas possibilidades.

As primeiras lentes criadas utilizaram como matéria-prima o vidro, por isso, são chamadas de lentes minerais. Para fabricá-las são aquecidos alguns minerais, como quartzo, carbonato de potássio e soda, em temperaturas altíssimas, até que se tornem vidro líquido.

Esse vidro é colocado em moldes que vão determinar se as lentes corrigirão miopia, astigmatismo ou hipermetropia, por exemplo. Depois, cada bloco de vidro passa por todo um processo que o transforma em lente.

Apesar de pioneiras e de boa qualidade, as lentes minerais são bem menos utilizadas hoje, por vários motivos. Durante a Segunda Guerra Mundial, a escassez de matérias-primas levou à busca por novos materiais tão adequados para as lentes quanto o vidro e que também fossem mais fáceis de produzir.

A solução encontrada foram os plásticos, formados por materiais contendo carbono chamados polímeros. O primeiro material deste tipo, chamado CR 39, foi descoberto em 1940 nos Estados Unidos. A partir de então surgiram vários outros polímeros, como o policarbonato e o Trivex. As lentes deste tipo são chamadas de orgânicas e hoje são as mais vendidas no mundo.

Mas afinal, qual a diferença entre orgânicas e minerais? Bom, em primeiro lugar, as lentes acrílicas são mais leves que as de vidro e também mais resistentes à quebra. Por outro lado, podem ser riscadas com mais facilidade. As minerais, no entanto, são mais finas e apresentam excelente nitidez.

Ao longo do tempo, as fabricantes desenvolveram técnicas para reduzir as desvantagens de cada uma delas e oferecer o melhor produto possível aos usuários. Um exemplo são os revestimentos que aumentam a resistência das lentes orgânicas, como o DuraVision, criado pela ZEISS. Durante o tratamento, são aplicadas várias camadas, incluindo antirreflexo e antirriscos que garantem lentes extremamente resistentes à quebra e arranhões.

Conhecer o material das lentes é fundamental para entender qual funciona melhor para cada necessidade e garantir uma visão sempre saudável. Da próxima vez que for até uma ótica, não se esqueça de pesquisar mais sobre como funcionam seus óculos, você pode se surpreender!  

COMENTÁRIOS


POST RELACIONADOS

INSTAGRAM
DÊ MAIS UM LOOK EM FRAMES